SP 0800­.608­.9010 | DF (61)­ 3574-9000
TEL: 0800­.608­.9010

ERP Sistema Integrado de Gestão Empresarial – Enterprise Resource Planning

 

 

Os processos de negócio podem ser definidos como um conjunto de tarefas e procedimentos interdependentes, realizados para alcançar um determinado resultado empresarial, sendo uma de suas características a transposição de fronteiras organizacionais, logo a integração da empresa é facilitada pelo uso de ERP através de alguns fatores, como a possibilidade da empresa operar com um único sistema de informação que atenda a todas as suas áreas, com o armazenamento dos dados em um banco de dados único e centralizado e a orientação a processos.

 

O ERP é um sistema genérico capaz de integrar todas as informações que fluem pela empresa por intermédio de uma base de dados única, ou seja, é um software de planejamento dos recursos empresariais que integra as diferentes funções da empresa para criar operações mais eficientes. Integrando os dados-chave e a comunicação entre as áreas da empresa, fornecendo informações detalhadas sobre as operações da mesma.

 

Tal sistema possibilita um fluxo de informações único, contínuo e consistente por toda a empresa sob uma única base de dados. É um instrumento para a melhoria de processos de negócio, orientado por esses processos e não pelas funções e departamentos da empresa, com informações on-line em tempo real, permitindo visualizar por completo as transações efetuadas pela empresa, desenhando um amplo cenário de seus processos de negócios, isto é, o sistema sempre refletirá a situação atual da empresa.

 

A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras etc) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio à decisão etc). A documentação e contabilização dos processos por intermédio do ERP geram regras de negócios bem definidas e permitem controle mais rígido sobre pontos vulneráveis do negócio. Para as empresas de médio porte, a adoção de ERP constitui excelente oportunidade para modernização tecnológica.

 

De acordo com a empresa, é possível direcionar ou adaptar o ERP para outros objetivos, estabelecendo prioridades que podem tanto estar na cadeia de produção quanto no apoio ao departamento de vendas como na distribuição, entre outras. E com a capacidade de integração dos módulos, é possível diagnosticar as áreas mais e menos eficientes e focar em processos que possam ter o desempenho melhorado com a ajuda do conjunto de sistemas.

 

Por se tratar de sistema genérico, independe do fato de a empresa que vai adotá-lo ser de manufatura ou prestadora de serviços. A abrangência do sistema é limitada pela empresa, podendo estar atrelada a vários motivos, como: custo de implantação dos módulos, possibilidade de integração de sistemas menores ao ERP, entre outros. Desta forma, o mesmo é considerado a porta de entrada para a integração entre as empresas da cadeia de fornecedores e está se tornando uma plataforma para aplicações de data mining, gerenciamento da cadeia e sistema de informação para executivos.

 

Com o ERP, os sistemas de informação deixaram de registrar o fluxo de informações e passaram a ajudar na gestão e redução nos custos em informática, centralizando o controle sobre a informação, padronizando processos e procurando unificar a cultura e o comando sobre a empresa. Muitas empresas têm aproveitado esses sistemas para introduzir mais disciplina. O ERP auxilia a padronizar práticas administrativas para empresas distantes geograficamente.

 

A vantagem do ERP é a integração de módulos informatizados que antes rodavam separadamente. Assim, a empresa deixa de operar como se existissem várias "ilhas" informatizadas e independentes, com isso ele põe fim à "colcha de retalhos" que caracteriza muitos sistemas corporativos (com programas redundantes, sem integração, tornando a consolidação dos dados demorada e ineficiente). Além de uma significativa melhora na utilização dos recursos internos, trazendo economia para a empresa.

 

Ao desfazer a complexidade do acompanhamento de todo o processo de produção, venda e faturamento, a empresa tem mais subsídios para se planejar, diminuir gastos e repensar a cadeia de produção. Um bom exemplo de como o ERP revoluciona uma companhia é que com uma melhor administração da produção, um investimento, como uma nova infraestrutura logística, pode ser repensado ou simplesmente abandonado. Neste caso, ao controlar e entender melhor todas as etapas que levam a um produto final, a companhia pode chegar ao ponto de produzir de forma mais inteligente, rápida e melhor, o que, em outras palavras, reduz o tempo que o produto fica parado no estoque.

 

Os dados são digitados uma só vez e todas as áreas podem consultá-los. Conferindo confiabilidade e integridade ao sistema, desde que o dado esteja atualizado e reflita a realidade da empresa. Portanto ao iniciar uma ordem de vendas, esta dispara o processo de fabricação com o envio da informação para múltiplas bases, do estoque de insumos à logística do produto. Tudo realizado com dados orgânicos, integrados e não redundantes.

 

A adoção de um ERP afeta a empresa em todas as suas dimensões, culturais, organizacionais ou tecnológicas. Esses sistemas controlam toda a empresa, da produção às finanças, registrando e processando cada fato novo na engrenagem corporativa e distribuindo a informação de maneira clara e segura, em tempo real, com isso ao adotar um ERP, o objetivo básico não é colocar o software em produção, mas melhorar os processos de negócios usando tecnologia da informação. Mais do que uma mudança de tecnologia, a adoção desses sistemas implica um processo de mudança organizacional.

 

Por consequência, a tomada de decisões ganha outra dinâmica, afinal se uma empresa que por alguma razão, talvez uma mudança nas normas de segurança, precise modificar aspectos da fabricação de um de seus produtos. Com o ERP, todas as áreas corporativas são informadas e se preparam de forma integrada para o evento, das compras à produção, passando pelo almoxarifado e chegando até mesmo à área de marketing, que pode assim ter informações para mudar algo nas campanhas publicitárias de seus produtos. E tudo realizado em muito menos tempo do que seria possível sem a presença do sistema.

 

Estado Virtual
Referência: Wikipédia / Internet.
 
www.estadovirtual.com.br